Copyright © Palavra-poeta
Design by Dzignine
1 de dezembro de 2016

Desejada solidão

Eu quero o individualismo libertador de um quarto desarrumado,
Quero os pés descalços
E roupas jogadas
A caminho do chuveiro do banheiro.
Quero andar nu
No apartamento solitário
E rabiscar as paredes de tinta
Na estante da solidão.
Eu e eu,
Sozinhos enfim,
No ensurdecedor barulho de um pop
Que só eu gosto
E de uma MPB que só eu ouvi falar.
Contas na mesa,
Chave na cadeira
E o suave odor de mil e um perfumes,
De mil e uma noite que se arrastaram
De mil e um gemidos que não sussurraram
Sob a cama arrumada,
Bagunçada.

Cozinha,
Sala de estar
E escada.
Branco de solidão,
Azul de desalinhada.
Eu e eu,
Só meu
ESPAÇO!